Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/03/15 às 19h45 - Atualizado em 17/12/18 às 11h24

Operação Revoada: Ibram apreende 44 aves

Quarenta e quatro aves foram apreendidas na Operação Revoada, primeira grande fiscalização do ano focada em animais silvestres, realizada na manhã desta terça-feira (31/03), pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram), nas regiões Administrativas do Guará, Ceilândia e Samambaia. Ao todo, a operação envolveu 33 auditores fiscais, organizados em três equipes. “Algumas das aves apreendidas são raras e outras correm o risco de extinção, como o bicudo, por exemplo”, explicou o coordenador de fiscalização de fauna, flora e uso do solo do Instituto, Leider de Oliveira.

Segundo o coordenador o objetivo da Operação foi: coibir a criação irregular de pássaros silvestres; demonstrar, aos que criam irregularmente, que as operações podem ser rastreadas e as irregularidades coibidas; trazer criadores com plantéis regulares, porém com licenças vencidas, para a regularidade; e avaliar indicadores de irregularidades em criadores amadoristas de passeriformes, a partir da análise dos resultados. A escolha das regiões administrativas levou em conta denúncias e investigação no Sistema de  Criadores de Passeriformes Silvestres (Sispass).

Leider Oliveira explicou que a operação aconteceu 51 residências, entre casas e apartamentos, na maioria vistoriados pela primeira vez. E que as pessoas visitadas tinham cadastro para criar os animais. Segundo ele foram encontradas irregularidades como: aves sem anilhas (selo utilizado para identificar o pássaro), o que pode configurar que elas foram capturadas na natureza; aves com anilhas falsificadas, o que se traduz em crime federal; e ausência de aves que deveriam estar no local visitado. Ocorreram casos também de criadores visitados estarem cem por cento regulares.

Além da apreensão das aves, os auditores fiscais aplicaram multas que variaram de R$ 500 a R$ 5 mil e suspenderam o cadastro, dos criadores que apresentaram irregularidades, no Sispass.

De acordo com Leider Oliveira, os criadores que foram multados ou tiveram o auto de infração lavrado tem dez dias para entrar com suas defesas, que serão analisadas pelo Ibram. As aves apreendidas serão encaminhadas para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama.  “Os que tiverem em condições de serem soltos, serão incluídos num Programa de Soltura. Os que não, por estarem completamente domesticados, serão encaminhados para zoológico ou mantenedores ou criadores científicos”, esclareceu o auditor Leider.

2014 – “O ano passado foram feitas cerca de 300 apreensões de animais silvestres em geral. Desse total, 292 foram aves”, informou a gerente de fiscalização de fauna, Luisa Brasileiro, explicando que a fiscalização, que antes era feita pelo Ibama, passou a ser feita pelo Ibram só em  junho de 2014. Portanto, o número revela o trabalho de apenas seis meses do ano.

Como na operação atual, a maioria das aves apreendidas estava sem anilhas ou com anilhas falsificadas. “Esses dados batem com os dados históricos do Ibama. Tanto em quantidade como em irregularidade”, destacou a auditora fiscal.

Denúncias – As denúncias de animais criados irregularmente devem ser feitas no número162, telefone geral da Ouvidoria do GDF, que encaminha a denúncia para o Ibram.

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543