Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/12/13 às 11h13 - Atualizado em 17/12/18 às 11h24

Na Mídia – Sobradinho mais verde: voluntários plantam 10 mil mudas nativas do Cerrado

(Matéria publicada no portal do Projeto Rio São Bartolomeu Vivo)

Um grande mutirão mobilizou a comunidade de Sobradinho em prol do reflorestamento de seu ribeirão. Durante dois dias (06 e 07), foram plantadas 10 mil mudas nativas do Cerrado em uma ação do Projeto Rio São Bartolomeu Vivo (RSBV) que uniu crianças, jovens e adultos preocupados com o futuro da sua cidade. Com 28 quilômetros de extensão até desembocar no rio São Bartolomeu, o ribeirão Sobradinho sofre todo tipo de impactos ambientais, o que se reflete na poluição de suas águas.

 

As margens do ribeirão Sobradinho ficaram repletas de voluntários, que mesmo com períodos de chuva e outros de muito sol, não desanimaram e cumpriram a missão de plantar todas as mudas.  

 

Carlos Alberto é morador de Sobradinho e aprendeu a nadar no ribeirão. Ele conta que as águas eram limpas e, ao longo dos anos, observou com pesar a degradação ambiental e poluição que tomaram contato do local. Carlos levou os sobrinhos Sérgio Junior (4 anos) e Davi (2,5 anos) para participar do mutirão. “Nós temos que mostrar para as crianças, desde cedo, que existe um modo de vida mais sustentável porque as crianças de hoje ficam muito no computador e precisam ficar mais próximos da natureza”, explica Carlos.

 

Nilton Reis, presidente do Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) frisou a importância da participação popular no evento, por ver tantas pessoas comprometidas com o plantio e declarou que o IBRAM pretende aumentar sua parceira com o Projeto. “Nós estamos estudando internamente uma forma de aporte de nossas compensações florestais no Projeto Rio São Bartolomeu Vivo, viabilizando mais plantios de forma que possamos contribuir mais com o projeto”.

 

O gerente de Parcerias, Articulações e Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil, Jefferson D’Avila de Oliveira, participou do mutirão e destacou que o RSBV é um projeto referência para a Fundação BB porque associa atividades de geração de trabalho e renda com recuperação ambiental. Na região há a  reaplicação de tecnologias sociais como as Fossas Sépticas Biodigestoras, a Produção Agroecologica Integrada e Sustentáveis (PAIS) e o Balde Cheio.

 

“Nós entendemos que um projeto integrado é fundamental, principalmente para que a comunidade entenda que é possível produzir preservando a natureza, produzir sem poluir os corpos d’agua”, lembrou D’Avila.

 

O Rio São Bartolomeu é o maior manancial do Distrito Federal o que o torna fundamental para o futuro abastecimento de água do DF. Desde 2010, ano do primeiro ciclo de plantio, o RSBV já plantou 434.248 mudas em 282,8 hectares que agora estão em processo de recuperação. E agora serão plantadas mais 170 mil mudas no ciclo de plantio 2013/2014.

 

“Existe um conjunto de ações para que essa pequena muda se torne uma árvore e não é um processo fácil, por isso, a Fundação BB se orgulha de ter dado o pontapé inicial na recuperação de áreas degradadas e de ver que hoje existem grandes instituições se agregando a esse projeto”, explica Jefferson D’Avila.

 

Saiba mais:

O Projeto Rio São Bartolomeu Vivo é uma realização da Fundação Banco do Brasil (FBB) e do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), em parceria com a Fundação Pró-Natureza – Funatura, Instituto Federal de Brasília (IFB, Campus Planaltina), Instituto Ipoema, Instituto Rede Terra, Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), Polícia Militar Ambiental do DF, Instituto Transformar e Adesbra – Chico Mendes.

 

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543