Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/08/16 às 20h12 - Atualizado em 17/12/18 às 11h25

Escritório de Processos: IBRAM conhece outras experiências de implantação

“Hoje qualquer instituição que queira agilizar seus projetos e implantar coisas novas, com economia de recursos, vai ter que criar seu escritório de projetos”. A declaração é do coronel Luiz Cunha, responsável pelo Escritório de Projetos do Exército (EPEx), feita na tarde da segunda-feira (22/8), quando ele recebeu o grupo de servidores do IBRAM, que está conduzindo a implantação do escritório de processos do Instituto.

“As visitas a órgãos públicos que já vivenciaram a implantação de escritórios de projetos e/ou de processos têm o objetivo de nos ajudar na implantação desse instrumento no IBRAM”, explica Ariana Leite, chefe da Unidade de Planejamento (UPLAN) do Instituto. No mês passado a equipe conheceu a experiência do Ministério da Educação.

O coronel explicou que o Escritório de Projetos do Exército, criado em 2005, está atingindo sua maturidade, e que hoje está  passando por uma  transformação com o auxílio do Escritório de Processos Organizacionais do Exército (EPOEx), que está na fase da elaboração da cadeia de valor da unidade. “Depois de consolidado um (EPEx), sentimos a necessidade do outro (EPOEx) como ponto fundamental para estruturar o trabalho de execução dos projetos”, explicou.

Luiz Cunha apresentou os sete atuais projetos estratégicos do exército: Sisfron, Sistema de Sensoriamento; Proteger, conjunto de sistemas integrados que amplia a capacidade da força terrestre do exército; Projeto Estratégico de defesa Cibernética; Guarani, que se trata da produção de uma família de carros blindados; Astros 2020, sistema de artilharia de misseis e foguetes; Projeto de Defesa Antiaérea; e o OCOP, Projeto Estratégico de Obtenção da Capacidade Operacional Plena.

“Todos estes projetos estão inseridos no escritório e são os indutores da transformação do exército brasileiro. Eles ampliam a nossa capacidade operativa e vão ao encontro do que demanda o País em termos de inserção nacional”, enfatizou o coronel.

Na avaliação de Ariana Leite a visita foi muito interessante porque possibilitou verificar que todos os órgãos públicos estão no mesmo caminho, “que é o da modernização e da transformação. Todos estão buscando estas ferramentas de gestão. Foi muito importante conhecer esta iniciativa. Comprovamos que estamos no caminho certo”, ressaltou. Segundo ela, outras experiências ainda serão buscadas.

Escritório de processos – Atualmente a ELO Group, empresa contratada via Termo de Cooperação, assinado entre o IBRAM e a Unesco, para auxiliar o órgão na implantação da gestão por processo, está treinando um grupo de quatro servidores do Instituto, que compõem o escritório de processos. Eles estão atuando em quatro frentes: Licenciamento Ordinário, Informações Ambientais, Compensação Ambiental e Fiscalização. O Escritório auxiliará os vários setores e departamentos do IBRAM, quando da implantação da gestão por processo em cada uma das áreas.

Além de Ariana Leite, participaram da visita os servidores: Athos Oliveira Carvalho, Lara Marques, Fernando César, Gabriela Albuquerque Marmo de Oliveira, Rosângela Martines Echeverria, Charles Dayler Silva de Almeida. 

 

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543