Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/06/21 às 12h23 - Atualizado em 8/06/21 às 13h13

Conheça a Fauna sinantrópica do Distrito Federal

Fauna da cidade

Os animais silvestres, nativos ou não, que conseguem se adaptar a viver junto ao homem são chamados de animais sinantrópicos. Diferentemente dos animais domésticos, que o homem cria e cuida para companhia (como cães e gatos), produção de alimentos (como galinhas e porcos) ou para transporte (como cavalos e jumentos). Algumas espécies de animais sinantrópicos podem causar danos econômicos e transmitir doenças, causando danos à saúde de seres humanos e outros animais.

 

A perda de ambientes naturais com o crescimento das cidades e o desmatamento para diferentes fins são fatores que contribuíram para que esses animais se adaptassem a viver na zona urbana. Em alguns casos, a presença desses indivíduos pode gerar incômodos e riscos à saúde pública, mas também é possível uma convivência harmônica, como no caso de aves, abelhas, formigas e capivaras. De acordo com a  Instrução Normativa IBAMA 141/2006, a fauna sinantrópica pode ser definida da seguinte forma:

 

(…)
IV – fauna sinantrópica: populações animais de espécies silvestres nativas ou exóticas, que utilizam recursos de áreas antrópicas, de forma transitória em seu deslocamento, como via de passagem ou local de descanso; ou permanente, utilizando-as como área de vida;

 

Cabe ainda citar o Decreto n.º 37.078/2016 que regulamenta o artigo 41, da Lei nº 5.321, de 06 de março de 2014, que Institui o Código de Saúde do Distrito Federal, e dá outras providências. De acordo com a referida normativa:

 

(…)

Art. 2º Define-se como vetores, animais sinantrópicos ou peçonhentos ou moluscos, para efeitos deste Decreto:

I – Vetor mecânico: ser vivo que veicula o agente patogênico desde o reservatório até o hospedeiro potencial;

II – Animais sinantrópicos ou peçonhentos: espécies de animais que, indesejavelmente, coabitam com o homem em sua morada ou arredores e que trazem incômodos, prejuízos ou riscos à saúde pública, tais como baratas, formigas, ratos, cupins, brocas, pulgas, aranhas, escorpiões, carrapatos, moscas, mosquitos, vespas, pombos, morcegos, traças, caramujos, percevejos, grilos, etc;

III – Molusco: animal de corpo mole, não segmentado, viscoso, com simetria bilateral, excepcionalmente assimétrico, com concha interna ou externa.

 

Por que estes animais podem se instalar nas cidades?

Os animais sinantrópicos precisam de três elementos para sua sobrevivência: abrigo, alimento e água. Essas três condições são suficientes para a espécie se adaptar e permanecer no ambiente.

 

A água não é um fator limitante no meio urbano, mas é possível interferir nos outros fatores para que espécies indesejadas não se instalem ao nosso redor. Por isso é importante conhecer o que serve de alimento e abrigo para cada espécie que pretendemos controlar, e tomar ações preventivas, para evitar o uso de produtos químicos que podem afetar outras espécies.

 

Exemplos de animais sinantrópicos

Nome comum: sagui-de-tufos-pretos

Nome científico: Callithrix penicillata

Fonte: http://www.institutorioitariri.com.br/2016/03/31/saiba-mais-sobre-o-sagui-de-tufo-preto/

 

Nome comum: rato-castanho

Nome científico: Rattus norvegicus

Fonte: https://www.darwinfoundation.org/en/datazone/checklist?species=5244

Nome comum: Morcego-fruteiro

Nome científico: Sturnira lilium

Fonte: https://www.ufrgs.br/faunadigitalrs/mamiferos/ordem-chiroptera/familia-phyllostomidae/morcego-fruteiro-sturnira-lilium/

 

Nome comum: Saruê

Nome científico: Didelphis albiventris

Fonte: https://www.ufrgs.br/faunadigitalrs/mamiferos/ordem-didelphimorphia/familia-didelphidae/gamba-didelphis-albiventris/

Nome comum: Tuim/periquitinho

Nome científico: Forpus xanthopterygius

Fonte: https://www.clubedocriador.com/passaros/14/forpus

Nome comum: quero-quero

Nome científico: Vanellus chilensis

Fonte:http://www.zoo.df.gov.br/quero-quero/

 

Nome comum: coruja-buraqueira

Nome científico: Speotyto cunicularia

Fonte:http://cerrado.museuvirtual.unb.br/index.php/aves

Nome comum: aranha-bananeira/armaderia

Nome científico: Phoneutria nigriventer

http://faunanews.com.br/2020/05/06/aranha-armadeira-o-veneno-e-perigoso-mas-ajuda-a-medicina/

 

Nome comum: escorpião-amarelo

Nome científico: Tityus serrulatus

https://butantan.gov.br/noticias/escorpioes-quem-sao-essas-formas-de-vida-que-ha-450-milhoes-de-anos-habitam-a-terra

 

Nome comum: carrapato-estrela

Nome científico: Amblyomma cajennense

http://g1.globo.com/bemestar/blog/doutora-ana-responde/post/carrapato-e-febre-maculosa-sinais-de-alerta.html

Nome comum: Abelhas indígenas

Nome científico:  Meliponini

Fonte: https://www.mundoecologia.com.br/animais/tipos-de-abelhas-sem-ferrao/

 

Nome comum: Taturana

Nome científico: Lonomia

Fonte:https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/terra-da-gente/noticia/taturana-encontrada-no-brasil-tem-veneno-capaz-de-matar-uma-pessoa.ghtml

 

Nome comum: mosquito-da-dengue

Nome científico:  Aedes (Stegomyia) aegypti

Fonte: https://www.ecycle.com.br/2640-animais-sinantropicos.html

 

Nome comum: Saúva-mata-pasto

Nome científico: Atta bisphaerica

Fonte:http://entomolog-reuni.blogspot.com/2011/09/sauva-mata-pasto.html

 

 

Nome comum: vespa polistina neotropical

Nome científico: Parachartergus fraternus

Fonte: https://www.dw.com/pt-br/a-escala-das-picadas-mais-dolorosas-de-insetos/a-45360226

 

Nome comum: barata-americana

Nome científico: Periplaneta americana

Fonte:https://cientistabrasil.wordpress.com/2016/06/29/periplaneta-americana/

 

Nome comum: barbeiro

Nome científico: Triatoma infestans

 

Nome comum: coral-verdadeira

Nome científico: Micrurus altirostris)

 

Referências Bibliográficas

ANIMAIS SINANTRÓPICOS. Disponível em:https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/Sinantropicos_1253903561.pdf Acesso em: 03 Mai.2021.

BRASIL. Decreto Nº 37.078, de 25 de janeiro de 2016.

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543