Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/05/21 às 22h12 - Atualizado em 13/05/21 às 22h19

Características Gerais da Capivara

Nome CientíficoHydrochoerus hydrochaeris

Comprimento: 1,2 m em média

Peso: de 20 kg a 80 kg

Expectativa de vida: 15 anos

Dieta: São animais herbívoros, se alimentam de capim, grama, ervas e vegetação aquática

Hábito: Semiaquáticos, Diurnos e noturnos. Vivem em grupos.

Comunicação: Pode acontecer através da emissão de gritos roucos. Geralmente, esses grunhidos servem para sinalizar quando se sentem ameaçadas. Contudo, podem ocorrer também gritos mais curtos e agudos. Estes, por sua vez, servem para orientar e manter o grupo unido.

Reprodução: O período de gestação é de 5 meses e nascem, em média, 5 filhotes.

Maturidade sexual: O macho atinge a maturidade entre 15 e 24 meses de idade, enquanto que as fêmeas alcançam essa maturidade com idade entre 10 e 12 meses

Predadores: Onça-pintada, onça-parda, jaguatiricas, cobras, cachorros-do-mato, sucuri e jacaré

Distribuição: Distribuição conforme a IUCN.

Peso e comprimento aproximado de adulto, jovem e filhote de capivara. Fonte: IBAMA.

Habitat das capivaras

O habitat natural das capivaras são os corpos de água permanentes, ou seja, margens de rios e lagos, áreas alagáveis e próximo à represas. A água serve como esconderijo e proteção contra os predadores naturais, além de ser utilizada para a reprodução. Esses animais possuem pequenas membranas entre os dedos, que ajudam no nado. Com isso, a espécie desenvolveu uma forte relação com a água. A conectividade de ambientes aquáticos inseridos em matriz urbana ou rural permite a ocupação de áreas onde antes não existiam esses animais, modificando o padrão de distribuição e a dinâmica da população. Nesse contexto, o desmatamento ou a substituição das matas ciliares para a implantação de áreas desprovidas de extrato arbóreo, constituídas por gramados, pastagens e culturas agrícolas próximos aos corpos d’água, proporciona a formação de ambientes adequados à ocorrência e ao aumento da população de capivaras. Nesses locais, as capivaras são ainda favorecidas por se encontrarem protegidas distantes dos seus predadores naturais.

Fonte: http://1000dias.com/ana/los-llanos-venezuelanos/

Dispersão

A dispersão das capivaras é facilitada pela existência da rede hídrica, que conecta os habitats ainda disponíveis. Devido a sua capacidade de ocupar ambientes próximos ao homem, a capivara pode se envolver em conflitos com as atividades humanas, por exemplo, grupos sociais numerosos da espécie podem se alimentar de plantações, causando prejuízos a produtores rurais. Além de prejuízos econômicos, as capivaras podem ser reservatórios para agentes etiológicos com potencial zoonótico, ou seja, podem participar do ciclo de vida de patógenos que atingem a saúde humana e que são capazes de ser naturalmente transmitidos entre seres humanos e outros animais vertebrados. Atuam como hospedeiro primário de carrapatos das espécies Amblyomma sculptum e Amblyomma dubitatum, e geralmente apresentam coinfestação das duas. Ambas também podem eventualmente parasitar humanos e outras espécies de animais, o que contribui para a circulação de possíveis rickettsioses (doenças infecciosas causada por bactérias) em diferentes populações de espécies, incluindo os seres humanos.

 

Dieta e forrageamento

A capivara é uma espécie de hábito herbívoro que alimenta-se de vegetação aquática e rasteira. O maior tempo de forrageamento (busca por alimentos) do grupo de capivaras ocorre durante a noite. As variações sazonais nas chuvas são fatores importantes nas espécies de plantas forrageadas pela capivara. Na estação seca, a capivara torna-se menos seletiva e acaba optando por gramíneas menos nutritivas.

 

Curiosidades sobre a capivara

– São espécies nativas da América do Sul;

– São animais calmos e mansos;

– São mamíferos herbívoros que se destacam por levarem o título de maior roedor do mundo;

– São animais territorialistas, ou seja, são animais que defendem áreas que apresentam condições para a sua sobrevivência, como alimentos e local de acasalamento.

– São animais semiaquáticos, que utilizam a água para se alimentar, se reproduzir, se locomover, para fugir de predadores, e, além disso, para fazer regulação da sua temperatura corporal (termorregulação);

– As capivaras apresentam relações benéficas com as aves. A interação, chamada mutualismo, é benéfica para ambas as espécies, pois as capivaras são protegidas dos carrapatos, enquanto que as aves se alimentam desses ectoparasitas. Portanto, ambas as espécies se beneficiam desse processo;

– As patas traseiras da capivara são maiores que as dianteiras.

– Os dentes incisivos de uma capivara adulta podem ter de 5 cm a 6 cm.

– Algumas capivaras podem atingir até 100 kg

– O nome popular da capivara possui origem tupi-guarani e significa “comedor de capim”;

– Atualmente, as capivaras estão na categoria “pouco preocupantes” na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN). Isso significa que, atualmente, a espécie não apresenta grande risco de entrar em extinção;

– Para distinguir os machos e as fêmeas, basta observar a glândula olfativa localizada sobre o focinho. Os machos apresentam uma substância esbranquiçada e pegajosa nesta região, que usam para marcar seu domínio sobre o resto dos membros da manada;

– Os machos dominantes, especialmente, são mais agressivos e as fêmeas podem atacar devido à presença de filhotes, ou para se defender.

 

Diferenças entre Macho e Fêmea

Para diferenciar com segurança o sexo das capivaras, o observador deve-se aproximar do animal e observar na parte superior da cabeça, onde se encontra uma proeminência glandular de coloração escura e totalmente desprovida de pelos, ambos os sexos possuem esta glândula, porém a do macho é maior. Esta glândula produz um líquido de cheiro característico que estimula as fêmeas sexualmente, além de servir para demarcar territórios. Os machos esfregam sua cabeça em troncos de árvores e demarcam seus espaços.

Exemplar de macho. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Capivara#/media/Ficheiro:Capybara_2d_(5511995827).jpg

 

Estilo de vida

São mamíferos muito sociáveis. Podem viver em grupos que chegam a alcançar 50 membros, principalmente como medida de segurança para se protegerem dos predadores. A “alta” temporada de reprodução dessa espécies se concentra durante as chuvas dos meses de abril e maio. As famílias costumam ser formadas por um macho dominante rodeado de várias fêmeas e seus filhotes. As capivaras dormem pouco, quase sempre durante as manhãs, entre os arbustos e nas margens dos rios. Esses roedores se comunicam entre si por vocalizações. Quando há perigo, emitem um som de alarme semelhante ao latido de um cachorro.

 

Referências Bibliográficas

ALMEIDA, A. M. R.; ARZUA, M.; TRINDADE, P. W. S.; JUNIOR, A. S. Capivaras (Hydrochoerus hydrochaeris, Linnaeus, 1766) (Mammalia: Rodentia) em áreas verdes do município de Curitiba (PR). Estudos de Biologia, v.35, p. 9-16, jan/jun, 2013.

KRISHNA Emilly, Capivara – Características, habitat, reprodução e curiosidades, 2019. Segredos do Mundo. Disponível em: https://segredosdomundo.r7.com/capivara-curiosidades/

SAHD, Luiza. Qual a diferença entre paca, ariranha, capivara e cutia. Super Interessante, 2018. Disponível em: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/qual-a-diferenca-entre-paca-ariranha-capivara-e-cutia/. Acesso em: 31/03/2021

Brasília Ambiental - Governo do Distrito Federal

SEPN 511 - Bloco C - Edifício Bittar - CEP: 70.750-543